Semalt Expert: Um olhar mais atento ao Kit de ferramentas dos hackers

Depois que os hackers descobrem uma maneira de invadir uma organização, eles a usam com base em sua experiência e sucessos passados. Portanto, tentar entender qualquer violação de dados pode ser de valor significativo quando alguém entra na mente do invasor e considera as maneiras que eles podem usar para causar danos.

Frank Abagnale, gerente de sucesso do cliente da Semalt Digital Services, apresenta os tipos mais comuns de ataques comumente usados por hackers:

1. Malware

Malware refere-se a uma variedade de programas nocivos, como vírus e ransomware, que dão controle remoto aos invasores. Uma vez que ele entra no computador, compromete a integridade do computador e assume o controle da máquina em uso. Ele também monitora todas as informações que entram e saem do sistema, bem como as ações nas teclas digitadas. Na maioria dos casos, exige que o hacker use maneiras pelas quais ele pode instalar o malware, como links e anexos de email com aparência inofensiva.

2. Phishing

O phishing geralmente é usado quando o invasor se disfarça de alguém ou organização em que confia para fazer algo que não faria. Eles tendem a usar urgência no email, como atividades fraudulentas e um anexo de email. Ao baixar o anexo, ele instala o malware, que redireciona o usuário para um site de aparência legítima, que continua solicitando informações pessoais ao usuário.

3. Ataque de injeção SQL

A Structured Query Language é uma linguagem de programação que ajuda a se comunicar com os bancos de dados. A maioria dos servidores armazena informações privadas em seus bancos de dados. Se houver alguma lacuna no código-fonte, um hacker pode injetar um SQL próprio, o que lhes permite uma porta dos fundos onde eles podem solicitar credenciais aos usuários do site. O problema se torna mais problemático se o site armazenar informações críticas sobre seus usuários, como informações de crédito em seus bancos de dados.

4. Script entre Sites (XSS)

Funciona da mesma maneira que as injeções de SQL, pois injeta código malicioso em um site. Quando os visitantes obtêm entrada no site, o código se instala no navegador do usuário, afetando diretamente os visitantes. Os hackers inserem automaticamente comentários ou scripts no site para usar o XSS. Os usuários podem nem perceber que os hackers seqüestraram suas informações até que seja tarde demais.

5. Negação de serviço (DoS)

Um ataque de DoS envolve sobrecarregar o site com muito tráfego, a ponto de sobrecarregar o servidor e incapaz de veicular seu conteúdo para as pessoas que tentam acessá-lo. O tipo de tráfego usado por hackers mal-intencionados deve inundar o site para desligá-lo dos usuários. No caso em que vários computadores são usados para invadir, ele se torna um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS), dando ao invasor endereços IP diferentes para trabalhar simultaneamente e dificultando o rastreamento deles.

6. Seqüestro de sessões e ataques do tipo intermediário

As transações de ida e volta entre o computador e o servidor da Web remoto têm um ID de sessão exclusivo. Depois que um hacker obtém o ID da sessão, ele pode fazer solicitações como o computador. Permite que eles obtenham entrada ilegal como usuário desavisado para obter controle sobre suas informações. Algumas das maneiras usadas para seqüestrar identificações de sessão são por meio de scripts entre sites.

7. Reutilização de credenciais

Devido ao aumento do número de sites que exigem senhas, os usuários podem optar por reutilizar suas senhas para sites específicos. Os especialistas em segurança aconselham as pessoas a usar senhas exclusivas. Os hackers podem obter nomes de usuário e senhas e usar ataques de força bruta para obter acesso. Existem gerenciadores de senhas disponíveis para ajudar com as várias credenciais usadas em sites diferentes.

Conclusão

Essas são apenas algumas das técnicas usadas pelos invasores de sites. Eles estão constantemente desenvolvendo métodos novos e inovadores. No entanto, estar ciente é uma maneira de mitigar o risco de ataques e melhorar a segurança.